Bowe Bergdahl evita prisão, será descarregada desonrosamente

EEUU acusa al sargento Bowe Bergdahl de deserción (Pode 2019).

Anonim

Bowe Bergdahl, o polêmico sargento do Exército que foi preso e torturado pelos talibãs por cinco anos depois de abandonar seu posto no Afeganistão, não vai enfrentar pena de prisão, afirmou um juiz militar em Fort Bragg, na Carolina do Norte, na sexta-feira. Em vez disso, ele será rebaixado para um privado e dispensado de forma desonrosa de seu posto.

A decisão de Bergdahl de abandonar a base remota em 2009, e sua subsequente captura, causou uma operação militar maciça, que os promotores em seu julgamento apontaram para pelo menos três ferimentos graves. Ele foi libertado em 2014 quando o presidente Obama concordou em trocar cinco prisioneiros do Taleban.

Seus advogados de defesa argumentaram que o homem de 31 anos havia recebido punição suficiente para não justificar a prisão. Durante grande parte de seu cativeiro, Bergdahl foi mantido em uma pequena gaiola de metal e frequentemente espancado. Durante o julgamento de sete dias, ele se declarou culpado de deserção e mau comportamento diante do inimigo, uma ofensa que poderia ser punida com prisão perpétua.

Após o anúncio, o presidente Donald Trump enviou um tweet expressando sua indignação com a decisão.

A decisão sobre o sargento Bergdahl é uma completa e total desgraça para o nosso país e para os nossos militares.

- Donald J. Trump () 3 de novembro de 2017

Você pode ler mais sobre a decisão e o caso no USA Today .

menu
menu